Alguns leitores nos pediram recentemente por uma lista de alimentos ricos em iodo para tireoide. No entanto, é importante primeiro conhecer o que é, exatamente, o iodo e qual é a sua função no organismo.

O iodo é um mineral necessário para a vida humana. Os seres humanos precisam para um desenvolvimento físico e mental adequado.

Afeta a respiração celular, ao metabolismo dos nutrientes, ao funcionamento dos nervos e músculos, a fisiologia do feto, ao crescimento e reparação dos tecidos e ao estado da pele, o cabelo, os dentes e as unhas.

O iodo também é necessário para produzir hormônios da tireoide. A tireoide (pequena glândula localizada na parte frontal do pescoço) contém 80% dos depósitos de iodo do corpo e o converte em hormônios da tireoide tiroxina (T4) e tri-iodotironina (T3). Esses hormônios são liberados na corrente sanguínea e controlam o metabolismo corporal.

Alimentos Ricos em Iodo

As quantidades diárias recomendadas de iodo são de 40 pg para lactentes e 150 pg para adultos e crianças a partir dos 11 anos. Em mulheres grávidas e que estão amamentando, estas necessidades aumentam até 175 e 200 pg, respectivamente. O iodo está disponível em diversas fontes alimentares, em medicamentos e em preparações polivitamínicas comerciais.

Alimentos Ricos em Iodo:

As algas e animais marinhos são boas fontes de iodo. Com relação às algas marinhas, aquelas com mais teor de iodo são: Arame com 730 mg, kombu com 1450 mg. Especialmente, as algas secas contém uma incrível fonte deste mineral com aproximadamente 4500 mg.

No que diz respeito aos animais marinhos, aqueles com uma elevada percentagem de iodo são: sardinhas em lata, atum em lata, bacalhau, cavala, ostras, salmão, camarão, entre outros.

Se forem cultivados em solos ricos em iodo, alguns alimentos, como aspargos, pimentão verde, alface, cogumelos, abacaxi, uvas, espinafre e pão feito com trigo integral, são uma boa fonte de iodo na dieta.

Os produtos de origem animal também fornecem iodo, especialmente se os animais foram alimentados com produtos ou sal enriquecido com iodo: boi, fígado bovino, manteiga, queijo, creme, cordeiro, leite, carne de porco e ovos.

Neste sentido, é importante observar que os ovos cozidos são, na verdade, um alimento saudável, não apenas porque contém iodo, mas também porque possuem nutrientes, como antioxidantes, cálcio, zinco, vitamina A, vitamina D, e muito mais.

Estima-se que um ovo cozido pode conter até 12 mg de iodo, aproximadamente 9% do valor diário com cerca de 78 calorias. Pode ser usado com um pouco de salada verde e vegetariana cheia de folhas para uma refeição leve e saudável. Outra fonte de iodo na dieta é o sal iodado.

Leia também: "Por que é Importante Comer Alimentos Ricos em Iodo?".

O Iodo e a Saúde:

O iodo é importante para gerar os hormônios da tireoide que regulam o metabolismo. Na verdade, isso é tudo que o iodo faz por você, mas muito mais: estes hormônios desempenham um papel importante no crescimento, reprodução celular, funções nervosas, e na forma na qual as células usam o oxigênio.

Um dos hormônios, a tiroxina, regula a rapidez com que o organismo usa a energia dos alimentos. Se você não tem suficiente iodo, a tireoide se inflama em um esforço para produzir mais hormônios; esta condição é chamada hipotireoidismo, e a inflamação se chama bócio.

A aplicação de iodo em certas doenças (arteriosclerose, artrite e angina de peito) também tem sido útil. Além disso, pode ser utilizado como expectorante em medicamentos para a tosse.

As tinturas de iodo (misturas diluídas em álcool e iodo) têm servido como antissépticos para destruir bactérias nas lesões cutâneas.

Algumas pesquisas têm demonstrado que os suplementos orais de iodo têm um efeito anti-fibrótico e anti-inflamatório. Por isso, alguns estudos sobre a doença fibrocística da mama os têm utilizado. Algumas pesquisas têm relacionado à incidência aumentada de câncer de mama, de endométrio e de ovário com o hipotireoidismo e a deficiência de iodo. No entanto, os baixos níveis de selênio, que são associados classicamente com o câncer, também estavam presentes nestes estudos.

O iodo é usado em vários compostos para diversos exames médicos, como para visualizar os raios-X da vesícula biliar, dos rins ou do coração.

Precauções Sobre o Excesso de Iodo:

Um excesso ou um defeito de ingestão de iodo dá lugar a diversos transtornos que são corrigidos ajustando a sua ingestão. Um excesso de iodo produz toxicidade. Os transtornos por deficiência de iodo são evitáveis, embora não curáveis, se for garantida uma ingestão de iodo adequada. Só é necessária uma pequena quantidade de iodo para a vida humana.

No entanto, o organismo não armazena o iodo durante longos períodos, por isso sua ingestão deve ser regular. Uma ingestão de iodo muito baixa pode resultar em pés frios, fadiga, insônia, problemas de pele e unhas, e ganho de peso. O bócio pode ser o resultado de uma deficiência de iodo.

Algumas substâncias denominadas bociogênicas podem precipitar o aparecimento do bócio ao interferir com o funcionamento da tireoide. Certos alimentos também são caracterizados por uma tendência bociógena, como alguns fármacos, por exemplo, tioureia, sulfonamidas e antipirina.

Couve de Bruxelas, repolho, couve-flor, mostarda, pêssegos, amendoim, peras e fava de soja interferem com o iodo. É preciso limitar o consumo destes alimentos em pessoas cuja tireoide funciona insuficientemente ou que sofrem de hipotireoidismo.

Efeitos Secundários do Iodo:

O excesso de iodo costuma ser eliminado e sua perda pode ser medida na urina. A ingestão excessiva de iodo de forma regular provoca toxicidade. O excesso de iodo, como suplemento ou em fármaco-terapia, pode reduzir a função da tireoide. Embora costume estar associada à deficiência de iodo, o bócio pode também ser o resultado de um excesso de iodo por hiperatividade da tireoide.

Além disso, as quantidades elevadas de iodo derivadas de um excesso de sal iodado, vitaminas, medicamentos para a tosse, comprimidos de kelp ou detectadas por exames médicos podem ter efeitos como taquicardia, nervosismo, dor de cabeça, fadiga, sabor metálico na boca, salivação excessiva, irritação gástrica e hipertireoidismo.

Pode aparecer acne ou piorar se já existe. As pessoas sensíveis ao iodo podem apresentar uma reação alérgica, geralmente uma erupção cutânea. É recomendável a retirada dos medicamentos ricos em iodo em pessoas sensíveis.