Acredite ou não, a maioria do que comemos está altamente contaminada. Não se trata de uma contaminação que podemos tocar ou ver a olho nu. Trata-se dos metais pesados nos alimentos. Estes metais, que surgem para subtrair a frescura dos alimentos e para nos fazer esquecer o que é a verdadeira comida. Além disso, não somos capazes de vê-los, porque já estamos acostumados com isso. Mas não se preocupe, porque em Saúde Dicas, vamos te ajudar a descobrir.

Se você quer descobrir o que realmente comemos e o que existe ao nosso redor, então este artigo te interessará. Tentaremos ver a importância de alguns metais em nosso organismo, mas também, veremos como nos afeta, se não vigiamos o que comemos. Se não prestamos atenção, podemos estar consumindo metais pesados, prejudiciais para a saúde e sem nos darmos conta. Se você não quer continuar com isso, vamos descobrimos um pouco mais sobre o mundo dos metais pesados nos alimentos.

Metais Pesados nos Alimentos: Como Ocorre a Contaminação dos Alimentos e Consequências para a Saúde

Leia também: "Alimentos Orgânicos: Cada Vez Mais Nutritivos e Saudáveis".

Fontes de Metais Pesados:

Por que se contaminam os alimentos? O que é que faz com que um alimento passe de fresco para ser um perigo? Acontece que os alimentos não se transformam porque sim, mas há uma série de fontes de metais pesados, que são responsáveis por fazer com que os alimentos deixem de ser verdadeiros alimentos.

Algumas destas fontes, as vemos como algo inofensivo e quase necessárias para os alimentos. Acontece que são tão prejudiciais como plantar tomates em uma poça de água contaminada.

Vejamos quais são as fontes mais comuns que provocam que os alimentos já não sejam tão naturais como acreditamos.

  • Solos contaminados com lixo ou outros resíduos.
  • Lodos residuais de fábricas ou indústrias.
  • Fertilizantes químicos utilizados que as frutas cresçam.
  • Pesticidas para manter os insetos longe, mas que também podem ser tóxicos para as plantas.
  • Inseticidas usados.
  • A água de irrigação não potável.
  • Medicamentos utilizados para a reprodução, além de hormônios e antibióticos.
  • Fumaça das fábricas.

Tudo isso gruda nos alimentos que ingerimos. Mas a coisa não fica só aí, por que também, estamos cercados de metais que não precisamos consumir, mas aos quais estamos expostos, como ocorre com as obturações dentárias.

Como são Incorporados os Metais nos Alimentos:

Claro que, depois de ver tudo isso, nós ficamos tranquilos com o fato de que os alimentos que ingerimos sejam naturais e orgânicos. Mas lembre-se que estamos tão cercados de metais que sempre existe alguma forma de que chegue a contaminação.

  • O solo contaminado com o qual são cultivadas algumas verduras faz com que o futuro vegetal contenha metais pesados.
  • Se existe água contaminada nos arredores e não sabemos se é filtrada na água que usamos para regar, também, os banhamos com metais pesados.
  • Os fertilizantes químicos, também adicionam metais pesados aos alimentos.
  • Os pesticidas com os quais se tratam os alimentos, que costumam ter também, metais pesados.
  • Os alimentos embalados em uma lata vão estar contaminados pelo mesmo recipiente que os protege.
  • E, por último, se aquecemos o conteúdo em um recipiente de metal, também passará a contaminar a comida. Ou se tentamos cortar os ingredientes com metal, este metal também passará para os alimentos.

Se você quer eliminar os restos metálicos, o melhor que você pode fazer é garantir bem o cultivo orgânico dos alimentos. Ou você também pode cultivá-los, da forma mais natural.

Leia também: "8 Dicas Para Distinguir Entre Alimentos Mais e Menos Saudáveis".

Precisamos de Metais no Nosso Corpo?

A composição do nosso corpo inclui metais de maneira natural. É quando não temos o suficiente, costumamos sentir decadência e é que estamos sofrendo de uma deficiência por metais. Os metais são parte do nosso corpo. A diferença está em que os metais que admitimos são apenas alguns e em quantidades determinadas.

Os metais que precisamos, são os chamados metais essenciais. São os metais, como sódio, potássio, ferro, manganês, zinco, cobre e cálcio. Quando nos falta algum destes, seja por ausência ou deficiência, o nosso organismo não funciona corretamente. No entanto, também ocorre no caso oposto: não podemos ter um excesso de metal em nosso corpo. E com isso queremos dizer que não precisamos nem de excesso de metais ou muito menos, outros metais que não pertencem ao nosso corpo:

  • Cádmio.
  • Alumínio.
  • Mercúrio.
  • Chumbo.

São metais que realmente não pertencem à nossa composição natural. Em doses pequenas, por um pouco de água, lata ou panela, podem ser introduzidos no nosso corpo. E, graças à força do nosso organismo, podemos suportar estes metais pesados. Mas quando estes se acumulam e começa a haver um excesso de metais pesados, a saúde começa a sofrer porque está lutando contra um material que não lhe pertence.

Consequências para a Nossa Saúde dos Metais Pesados nos Alimentos:

As consequências do aparecimento de excesso de metais pesados no organismo podem chegar a ser fatais se não for detectado precocemente. Vejamos como os metais pesados, se estão descontrolados no nosso organismo, pode afetar seriamente a nossa saúde.

  • A saúde das crianças: afeta severamente o cérebro das crianças, fazendo com que a evolução mental não seja tão favorável quanto o esperado.
  • Alterações no sangue: desde o lado intracelular onde o mercúrio pode causar fadiga crônica, leucemias e/ou anemias.
  • Afeta os órgãos: afeta o coração, o fígado e especialmente os rins.
  • Ossos e articulações: pode fazer com que o sistema esquelético fique danificado de forma que se torna fraco e se encontra sempre com dor.
  • Sistema nervoso: pode afetar seriamente o estado do sistema nervoso, até desencadear doenças neurológicas.

Você já conhece tudo o que existe por trás da indústria dos alimentos. É hora de passarmos para uma alimentação muito mais saudável e tentar evitar produtos que contenham metais pesados.