Os miomas são tumores benignos que aparecem ao redor do útero e, ocasionalmente, no colo do útero, causando sintomas incômodos, como dor pélvica ou inchaço abdominal. Seus tratamentos podem ser mais ou menos agressivos, dependendo das características de cada paciente e chegando inclusive a cirurgia. Hoje falamos sobre os tratamentos para os miomas uterinos.

O Que São Miomas Uterinos?

Você não sabe o que são os miomas uterinos? Vamos te proporcionar alguns dados de interesse a respeito:

Estes miomas uterinos são massas anormais de tecido muscular liso, que se originam a partir de células musculares lisas presentes no miométrio ou parede do útero. Também são chamados de leiomiomas ou fiobrás uterinos e o seu aparecimento está relacionado com os níveis de estrogênio, sendo mais comuns em mulheres com desequilíbrios hormonais.

Tratamentos Para Miomas Uterinos

Estas lesões se dividem em três categorias, dependendo da sua localização: subserosal (55%), intramural (40%) e submucosa (5%). Em princípio, são benignos e muitas vezes assintomáticos, mas devem ser verificados frequentemente, porque podem crescer e aumentar o sangramento durante a menstruação, causando anemia.

Quando os miomas se tornam muito grandes, podem inclusive desencadear problemas urinários, hemorroidas, constipação crônica, dor nas costas, dor durante a relação sexual e, em casos de gravidez, pode causar abortos e infertilidade.

Leia também: "Tudo Sobre Câncer do Colo do Útero".

Como Tratar os Miomas Uterinos

Quanto à forma de tratar os miomas uterinos, você deve saber que para acabar com eles depende do tipo de mioma em questão, seu tamanho, localização, idade da paciente e seus desejos de fertilidade. Quando os miomas são pequenos, não crescem e não apresentam sintomas, o melhor tratamento é o controle ginecológico. Desta maneira, se o médico considera que os miomas começam a crescer pode tomar medidas a tempo. Estas revisões são feitas aproximadamente a cada seis meses.

Quando aparecem sintomas podemos recorrer a determinados tratamentos medicamentosos e cirúrgicos. Por exemplo, os tratamentos hormonais são muito eficazes para reduzir o tamanho dos miomas e eliminar os seus sintomas. Estes criam um estado hipo estrogênico semelhante ao da menopausa, e são capazes de reduzir entre 30 e 60% do tamanho dos miomas, e 50% do volume uterino.

O problema é que, depois de três ou quatro meses recuperam o seu tamanho inicial, de modo que este tratamento se destina apenas a facilitar o processo antes de uma intervenção cirúrgica. Para aliviar o sangramento são utilizados progestágenos e contraceptivos orais, enquanto que para a dor se administra anti-inflamatórios não esteroides.

Quanto a outro tipo de intervenções, encontramos entre as menos agressivas a histeroscopia e a laparoscopia, para os quais não é necessário fazer cortes no intestino, e geralmente não requer internação.

Outro tratamento cirúrgico possível é a miomectomia, que consiste na remoção cirúrgica apenas dos miomas. Mais agressiva é histerectomia, que é a remoção cirúrgica do útero completo. Ambas são realizadas por cirurgia abdominal ou vaginal, embora, nos últimos anos, essas duas técnicas estão sendo substituídas pela cirurgia laparoscópica. Esta implica uma mínima invasão, uma recuperação mais e menos cicatrizes, já que é realizada através de pequenas incisões.

Uma das técnicas mais recentes é chamada embolização uterina, um novo tratamento não-cirúrgico que consiste na punção da artéria femoral e posterior embolização de ambas as artérias uterinas, injetando partículas de álcool polivinílico em gel. Estas partículas aderem aos miomas, que as absorvem. Como resultado de tudo isso, os miomas começam a diminuir o seu tamanho.

Finalmente, encontramos algumas recomendações totalmente naturais que podem ajudar as mulheres com miomas uterinos a combater os seus sintomas. Por exemplo, convém consumir muitos alimentos com ferro, já que as hemorragias menstruais podem causar anemia. Também se recomenda uma dieta rica em fibras, magnésio e vitamina B.

Denise Cipolli Terapeuta Holística

Denise Cipolli
Terapeuta Holística
Denise A. Ribeiro Cipolli possui mais de 5 anos de experiência em terapia holística e é formada pela UHB Universidade holística Do Brasil de Guaratinguetá desde 2012.